Fale sobre o cigarro!

O quinto dia sem o cigarro começou assim: eu mal abri os olhos e o primeiro pensamento claro e límpido que me veio a mente foi: “Pronto já deu, vou acender um cigarro e ser feliz agora”. Foi tão forte e tão meu que por um momento eu realmente achei que era meu.

Não fumei. Tomei minhas gotinhas homeopáticas, minha capsula de Kawa Kawa, arrumei a cama e acabei dando risada… Conclui que a única explicação para isso é: Os receptores de nicotina pensam por si só. Na verdade, se eu deixar os receptores de nicotina no meu cérebro pensam por mim!

Isso pode até parecer ridículo, mas se você, assim como eu esta nos primeiros dias sem o cigarro, vai concordar comigo que alguns pensamentos são totalmente incoerentes com o seu estado de espirito e mesmo assim eles parecem ser tão seus. Não é uma vozinha tipo anjo/diabo no ouvido – o pensamento é bem claro: – “Eu vou fumar, já deu!”

Eu comentei com o Sergio, eu postei no facebook. Uma amiga que atualmente mora em Palmas me ligou só pra dar uma forcinha 😀 (Muito bom poder contar com amigos que continuam me apoiando apesar de todas as tentativas/falhas que fiz este ano).

Já faz tempo que eu desisti de não falar para os outros (amigos, familiares, colegas de trabalho) que estava tentando parar se fumar. Parar de fumar é uma das coisas mais difíceis que eu já fiz. É muito difícil! Não dá pra ter vergonha de tentar e fracassar. É importante falar sobre isso, externar, é assim que a gente começa uma mudança interna, antes mesmo de apagar o careta de vez.

Publicado por Keylla García

Terapeuta integrativa apaixonada por Acupuntura e Medicina Tradicional Chinesa. Estuda e desenvolve técnicas para o controle e alívio do estresse desde 2021. Escritora, bióloga, fotografa, videomaker, webdesigner... uma pessoa que segue, confiantemente, em direção aos seus sonhos.