O que o Yin e o Yang, o Feng Shui e a Medicina Chinesa tem a ver com cozinhar?

doutissima

A teoria do Yin e do Yang se relaciona intimamente com quase todas as contribuições da China à civilização: nas ciências naturais, na medicina herbária, na acupultura, no design de interiores e também é a base da culinária chinesa. Mergulhando um pouco nessa onda zen, vou apresentar alguns conceitos que podem ser úteis pra dar significado à nossa busca por uma vida com mais saúde e com menos ansiedade. =]

O Yin e o Yang são energias diferentes entre si, porém inseparáveis. Um exemplo ilustrativo de Yin e Yang pode ser percebido quando observamos a interação entre a luz e as sombras em uma paisagem ao longo do dia. Se começarmos a observar logo quando o sol nasce até o sol se pôr veremos que a luz e as sombras se transformam lentamente uma na outra ao longo do dia.

As energias do Yin e do Yang procuram constantemente por um equilíbrio entre elas, mas nunca são estáticas, assim como a vida. A interação entre ambas está sempre em movimento, sempre dinâmica. – pág.28

Na culinária chinesa a harmonia entre o Yin e o Yang é fundamental. Das mais simples refeições aos banquetes busca-se o equilíbrio entre as energias nos alimentos e na restauração da harmonia interna das pessoas que os comem.

Outro fator que norteia a arte da culinária chinesa são as quatro estações do ano e suas interações com as energias do Yin e do Yang. Além disto, temos cinco influências naturais que se relacionam com cinco sabores da gastronômia: A secura, o vento, o calor, o frio e a umidade.

Portanto, a secura afeta os pulmões e é associada aos sabores apimentados. O vento afeta o fígado e tem a ver com os ácidos. O frio afeta os rins e associa-s ao salgado. O calor afeta o coração e relaciona-se ao amargo. A umidade afeta o estômago e associa-se ao doce. – pág.30

Estes cinco sabores – picante, ácido, salgado, amargo e doce – interagem entre si e são utilizados na culinária chinesa na escolha e preparo dos alimentos de forma que cada refeição tenha um efeito terapêutico, equilibrando as mudanças constantes das estações, do tempo e do nosso estado emocional.

Nessa linha de coisas naturebas eu estou ganhando muito ao estudar um pouco mais da cultura oriental. Este post é uma resenha da primeira parte do livro “O Feng Shui na Cozinha” do Mestre Lam Kan Chuen com a colaboração de Lam Kai Sin.

Publicado por Keylla García

Terapeuta integrativa apaixonada por Acupuntura e Medicina Tradicional Chinesa. Estuda e desenvolve técnicas para o controle e alívio do estresse desde 2021. Escritora, bióloga, fotografa, videomaker, webdesigner... uma pessoa que segue, confiantemente, em direção aos seus sonhos.