1 ano e 4 meses sem fumar. A recaída de 3 meses e o segundo dia sem cigarro.

Eu voltei a fumar em um dia com cerveja, amigos fumando e aquela vontade de acender um cigarro… Só um cigarro. Vontade de sentir que esta fazendo algo que realmente quer fazer. Ao invés da sensação constante de estar se privando de fazer o que quer. Afinal de contas vai ser só esse cigarro. E talvez mais um.

Próximo de completar um ano e quatro meses sem fumar, na véspera do meu aniversário. Em uma festinha surpresa despretenciosa… Satisfiz o meu desejo de fumar um ou três cigarros… E isso foi o suficiente para em algumas semanas voltar a fumar todos os dias. Foi o suficiente pra relembrar que eu não tenho controle sobre o vício. É o vício no cigarro que tem controle sobre mim. Num piscar de olhos passou um mês, e eu já tinha sempre um maço de cigarros na bolsa.

A idéia de fumar só quando a gente quer não é real. Perdemos essa capacidade de escolha no momento em que os receptores de nicotina do cérebro são lembrados de como é bom estarem ligados á nicotina. Eu até achei que flexibilizar um dia ou outro, e acender um cigarro seria tranquilo. Mas é justamente esse pensamento incoerente que pode fazer qualquer um cair, e voltar a fumar.

Nestes três meses fumando, eu fumei muito mais cigarros que não quis, do que cigarros que quis. Pude ver como esta fora de moda fumar. Eu não era a única que havia parado de fumar. Você anda na rua e não vê mais tantas pessoas fumando enquanto caminham. Senta em uma praça e não tem tanta fumaça saindo dos dedos das pessoas. Acende um cigarro em uma feira de rua e percebe que isso incomoda quem esta á sua volta.

Na rotina, o cheiro do cigarro rapidamente estava em minhas mãos, minhas roupas, minha casa, e o meu olfato indo embora. No cotidiano, uma gripe virou sinusite, e a tosse e pigarro me acompanham até hoje. 3 meses fumando cerca de 8 cigarros por dia, em dias de happy hour um maço fácil com cerveja…

Algumas tentativas de parar de fumar sem fazer uso de medicamentos ou voltar ao grupo de apoio anti-tabagismo… Falhei sem completar um dia se quer. Teve dias que acendi o cigarro após a primeira xícara de café as 7:40 da manhã, teve dias que fumei um pouco antes do almoço ou logo depois do almoço… Enfim. Estava difícil sem ajuda. 

O Sergio sugeriu o adesivo. A princípio eu fiquei relutante. Pedi pra ele comprar uma caixa de adesivo de nicotina etapa 3 com 7mm de nicotina pra mim (a ultima etapa, escolhi o adesivo menor, por não ter tanto tempo que voltei a fumar e pela quantidade diária de cigarros). Marquei a data mental: 24/06. Não quero passar dos 3 meses fumando. De 3 meses pra um ano eu não vou nem perceber… Tentei reduzir o numero de cigarros… 

Na noite do dia 23/06 eu coloquei o primeiro adesivo, antes de dormir. Já deitada na cama, eu visualizei o cigarro, e tudo o que ele representa pra mim, dentro de uma bola de coisas que não quero na minha vida e entreguei para o universo. Tive três sonhos estranhos dos quais já me esqueci.

Escrevo este post no meu segundo dia sem cigarro. O adesivo me ajudou a passar pelo dia de ontem. Eu tive uns 3 momentos em que desejei fumar, mas esses momentos passaram com mais facilidade. Sem muito sofrimento. A noite, eu troquei o adesivo e fui dormir. Acordei orgulhosa e confiante! É preciso força e persistência! É preciso vontade e determinação! É preciso bondade e generosidade consigo mesmo.

Publicado por Keylla García

Terapeuta integrativa apaixonada por Acupuntura e Medicina Tradicional Chinesa. Estuda e desenvolve técnicas para o controle e alívio do estresse desde 2021. Escritora, bióloga, fotografa, videomaker, webdesigner... uma pessoa que segue, confiantemente, em direção aos seus sonhos.

Um comentário em “1 ano e 4 meses sem fumar. A recaída de 3 meses e o segundo dia sem cigarro.

  1. Keilla, que agonia em ler seu post, todos temos vicios e eu no meu pude me identificar contigo. Agradeço pela publicação, que em breve relate seu exito.

    Curtir

Comentários encerrados.