Sessenta e cinco

Na antiguidade, quem governava bem através da Tao
Não a utilizava para iluminar as pessoas
Mas para que vivessem alegres na simplicidade

A dificuldade de se governar as pessoas
É devida aos conhecimentos astutos
Por isso, utilizando a astúcia para governar
Têm-se furtos no reino
Não utilizando a astúcia para governar
Tem-se virtude no reino

A compreensão destas duas máximas
Chama-se Misteriosa Virtude
A Misteriosa Virtude é profunda e extensa
Possibilita que todas as coisas retornem a Tao
E resulta em grande harmonia

Adaptação livre de distinção de gênero, por Keylla García.

Publicado por Keylla García

Terapeuta integrativa apaixonada por Acupuntura e Medicina Tradicional Chinesa. Estuda e desenvolve técnicas para o controle e alívio do estresse desde 2021. Escritora, bióloga, fotografa, videomaker, webdesigner... uma pessoa que segue, confiantemente, em direção aos seus sonhos.