Cinquenta e cinco

A pessoa que mantêm em si a plenitude
é como uma criança recém-nascida
As serpentes venenosas não podem picá-la
Os animais selvagens não podem atacá-la
As aves de rapina não se lançarão sobre ela
Seus ossos são frágeis, seus tendões tenros
e mesmo assim é firme
Desconhece a união da fêmea com o macho
e mesmo assim seu órgão desperta, pela plenitude da essência
Sua força vital é tão vigorosa que
ela pode gritar por um dia inteiro
sem que sua voz fique rouca
Ela possui a plenitude da harmonia
Conhecer a harmonia é viver a imutabilidade
Conhecer a imutabilidade é experimentar a iluminação
Viver apenas para si e alimentar seus próprios desejos
conduz ao esgotamento e à deterioração
As coisas no seu auge tornam-se velhas
Isso chama-se negar a Tao
Negando a Tao, rapidamente chega-se ao fim

Adaptação livre de distinção de gênero, por Keylla García.