Será que junto com 2020 também vou me despedir das pizzas e das cervejas?

Nós últimos dias eu me peguei olhando para os potes de yogurte natural que o Serginho comprou na última ida ao supermercado. Ele bebe um yakult e enquanto uma parte de mim pensa: que delícia – a outra parte diz: proteínas do leite e inflamação do intestino…

Ontem ele comeu uns pãezinhos com queijo canastra derretido e eu sentido aquele aroma entorpecente, pensei que começo a entender porque é tão difícil aderir uma dieta de restrição alimentar. Existem derivados do leite em tudo o que eu amo. E o glúten então? A pizza deve ser um dos pratos mais maravilhosos inventados pela humanidade…

Pro final do ano o Sérgio fez um estoque das nossas cervejas favoritas, Cacilds, Walls e Heineken… Estão lá embelezando a despensa. E eu pesquisando no Google se existe uma cerveja feita de aveia. Não encontrei.

Eu decidi parar de comer glúten e derivados do leite pouco antes do Natal de 2020. Meu olho direito com o canto avermelhado não me permite ignorar o problema.

Só consegui marcar consultas no ano que vem, o oftalmologista em fevereiro, o clínico geral, acupunturista, especialista em tratar doenças autoimunes através do protocolo de Coimbra abre a agenda de março no meio de janeiro, a reumatologista agendei em abril…

Sismei que quero o diagnóstico dessa vez, quero saber sobre a intolerância ao glúten. Já sei sobre a intolerância ao leite. Tive quando era bebê, não aceitei nenhum tipo de leite animal quando minha mãe parou de me amamentar. E a seis anos atrás o exame de lactose, positivo pra intolerância.

Quanto mais artigos científicos em leio sobre a doença celíaca e doenças autoimunes mais percebo sintomas que soltos não dizem nada, mas estão todos em mim a bastante tempo. Dormência nos membros inferiores e superior (pernas, pés, braços e mãos) sim. Queda de cabelo, sim. Fezes pastosas, sim. Dor na lombar, sim. Episclerite indicando uma inflamação no tecido conjuntivo, sim – já conto 22 dias com ela.

Sempre podemos deixar pra amanhã. Mudar hábitos é algo realmente difícil de fazer. Uma parte de mim quer esperar até às consultas, outra parte só quer diminuir a inflamação da parte branca do meu olho direito (a esclerótica). Sigo com este diário online, pois manter um diário online quando parei de fumar foi algo realmente importante pra mim.

Em meio a tudo isso, o que eu mais desejo pra 2021 é força de vontade. Força de vontade pra inserir definitivamente atividades físicas na minha rotina diária, força de vontade pra alterar a alimentação e parar de comer derivados do leite e produtos industrializados. Força de vontade pra voltar com meu canal no YouTube e compartilhar meu processo de mudança. Isso tudo e um diagnóstico negativo pra doenças autoimunes.

A força de vontade é o psiquismo ligado ao reino da água na medicina tradicional chinesa, a secura dos olhos, a queda de cabelo, a dor na lombar… Tudo isso indica uma deficiência dos canais energéticos deste reino, o canal dos rins e o canal da bexiga. Material de estudo pra minha formação em acupuntura.

Todo final de ano trás reflexões, é um momento introspectivo. A força de vontade é algo que depende de mim mesma, algo que posso alimentar, que tenho total controle. Já o diagnóstico depende do Céu (por assim dizer). Enquanto isso deixo aqui uma frase inspiradora pra quem precisa de tonificar a força de vontade em 2021, no Tao Te Ching, Lao Tsé diz:

“uma viagem de mil milhas inicia-se sempre com um único passo”.

Publicado por Keylla García

Terapeuta integrativa apaixonada por Acupuntura e Medicina Tradicional Chinesa. Estuda e desenvolve técnicas para o controle e alívio do estresse desde 2021. Escritora, bióloga, fotografa, videomaker, webdesigner... uma pessoa que segue, confiantemente, em direção aos seus sonhos.