Cinquenta e duas

Sob o Céu há uma origem
que é a mãe de todas as coisas
Conhecer a mãe é conhecer a prole
Conhecer a prole é também voltar-se para a mãe
E assim, padecendo o corpo não há perigos

Quem fecha a boca, fecha a porta dos sentidos
vive por muito tempo e não sofre desgastes
Quem abre a boca, abre a porta dos sentidos
tenta controlar o mundo e se vê perdido

Perceber o que é pequeno chama-se discernimento
Preservar a suavidade e a brandura chama-se força
Usar a luz interior é retornar a iluminação
Assim, não haverá perigo quando este corpo passar
e adentrarás a eternidade

Adaptação livre de distinção de gênero, por Keylla García.