Trinta e quatro

A grande Tao é onipresente
Pode ser encontrada na esquerda e na direita
Todas as formas lhe devem a existência
E ela nada retém
Realiza as coisas sem mostrar sua presença
É a colcha que cobre todas as formas, sem agir como senhora

Por continuamente ser livre de desejar
podem chamá-la de pequena
Por todas as coisas voltarem para ela, sem conhecê-la como soberana
podem chamá-la de grande

Assim também, a pessoa sábia, nunca age como grande
Por isso, pode alcançar a grandeza

Adaptação livre de distinção de gênero, por Keylla García.