A arte de desestressar através da prosa e da poesia

Oi Biscoitinhos e Bolachinhas, bom domingo!

Hoje eu compartilho uma poesia em prosa escrita por mim, os versos refletem minha formação com Bióloga, escritora, estudante de Acupuntura e amante da Medicina Tradicional Chinesa.

Te convido a ler e deixar um comentário com a sua reflexão sobre o tema que abordei.

Sobre as duas estações

– poesia escrita por Keylla García em setembro de 2021 (ás vésperas da primavera)

Essa história é de antes de existir as estações Yin e Yang. De quando a Terra era regida por 4 forças, quando o ritmo era mais lento e ainda assim as pessoas não conseguiam prestar atenção no tempo.

Haviam divindades visíveis em todos os lugares. Uma poderosa estrela incandescente brilhava todos os dias, aquecia o planeta e fornecia energia pra que a vida se estabelecesse. Uma única lua marcava os meses demonstrando sua constante mutação, evidenciando as quatro faces, se ocultando em introspecção e se expandindo em claridade.

O mar em criativo movimento, fornecia todas as gotas de água aos seres e sempre as atraia de volta em um ciclo constante de mutação.

Todos os seres existentes eram expressões divinas. E o simples toque em uma pedra possibilitava a troca de energia. Havia tanto a aprender que a natureza possibilitou a existência da consciência curiosa e através dela a humanidade despertou.

Quando as pessoas se multiplicaram ao ponto de somarem 8 bilhões de indivíduos, elas não perceberam que as estações do ano já não aconteciam. Não se viam interligadas com os outros seres que existiam.

Por acenderem cada vez mais luzes acabaram por apagar o Céu. E os pensamentos atingiram uma frequência coletiva que propagou a ideia de que a temperatura da Terra não estava se alterando e assim surgiram duas estações: Yin e Yang – e o ciclo de aprendizagem transmutou.

– por Keylla García

🤸🏻‍♀️✨ Compartilhe comigo suas reflexões Biscoitinhos e Bolachinhas, ficarei feliz em ler.