Quinze

As pessoas sábias da antiguidade
eram mestras em penetrar a sutil, misteriosa e profunda Tao
Eram tão profundas que não podiam ser compreendidas
Por não poderem ser compreendidas
É preciso esforçar-se para descrevê-las

Receosas, como quem atravessa um rio no inverno
Cautelosas, como quem teme as quatro direções
Reservadas, como quem se hóspeda
Solúveis, como a neve que derrete
Genuínas, como a madeira bruta
Vazias, como os vales
Entorpecidas, como as águas turvas

Quem sabe, através da quietude, tornar-se gradualmente límpida?
Quem sabe, através do movimento, torna-se gradualmente criativa?

Aquelas pessoas que se atém a Tao não buscam excessos
E justamente por não se excederem,
mesmo envelhecidas, recônditas renovam-se

Adaptação livre de distinção de gênero, por Keylla García.